sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Universidade Austríaca Retira Título de Doutor de Prêmio Nobel Nazista

 
Repasso a notícia acima, em alemão. Acho que pode servir de espelho para acadêmicos que silenciam ou tergiversam a tomar atitudes sérias frente às diversas expressões das discriminações institucionais nas universidades brasileiras.

Konrad Lorenz faleceu em 27 de fevereiro de 1989, foi um dos fundadores da moderna Etiologia, aplicável à Psicologia e à Sociologia, tendo dividido o Prêmio Nobel de Fisiologia e Medicina de 1973 com Nikolaas Tinbergen e Karl von Frisch. Seu livro mais conhecido é o "Sobre Agressão", de 1966.

Pois bem, segundo repassado pela colega que originalmente divulgou a notícia, a Universidade de Salzburgo decidiu, em 2014, investigar o passado nazista de personalidades academicas tidas como honradas.

Veio à tona que o laureado Lorenz coadunava com a ideologia nazista, tendo publicado em 1940, por exemplo, um artigo, na "Revista para Psicologia Aplicada e Ciência do Caráter", com o título "Distúrbos do Comportamento Caracteristico da Raça Provocado por Meio de Domesticação".

Nesse artigo, ele escreve o seguinte (livre tradução): "Há uma forte analogia entre um corpo humano invadido por câncer e uma nação afligida por subpopulações cujos defeitos inatos tornam-nas deficiências sociais. Tal qual no câncer, em que o melhor tratamento é erradicar o crescimento parasítico tão rápido quanto possível, A DEFESA EUGÊNICA CONTRA EFEITOS SOCIAIS DISGÊNICOS [que afetam de maneira deletéria gerações futuras, por meio da hereditariedade de características indesejáveis] DE SUBPOPULAÇÕES AFLIGIDAS É NECESSARIAMENTE LIMITADA A MEDIDAS IGUALMENTE DRÁSTICAS (...) QUANDO ESSES ELEMENTOS INFERIORES NÃO SÃO EFETIVAMENTE ELIMINADOS DE UMA POPULAÇÃO (SADIA), ENTÃO - COMO QUANDO SE PERMITE QUE AS CÉLULAS DE UM TUMOR MALIGNO PROLIFEREM NUM CORPO HUMANO - ELES DESTROEM O CORPO HOSPEDEIRO E A SI MESMOS".

Enfim. Concluído o processo de análise, a Universidade de Salzburgo decidiu revogar, nesta quinta-feira, 17 de dezembro, o título de doutorado de Konrad Lorenz.
 

domingo, 13 de dezembro de 2015

Corpos Trans! Visibilidade das Violências e das Mortes


No artigo científico CORPOS TRANS! VISIBILIDADE DAS VIOLÊNCIAS E DAS MORTES, publicado na Revista Transversos, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ, o amigo historiador e professor da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro - UFRRJ, Fábio Henrique Lopes, analisa a violência contra pessoas trans a partir de casos publicados pela imprensa, demonstrando como ela resulta de uma sociedade fundamentalmente heterossexista, cissexista e transfóbica.

O texto está disponível no link http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/transversos/article/view/19793/14347

quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Visita ao Vereador Jefferson Moura

Hoje entreguei um exemplar do livro Homofobia: Identificar e Prevenir ao vereador Jefferson Moura (Rede/RJ), presidente da Comissão Permanente de Defesa dos Direitos Humanos da Câmara Municipal do Rio de Janeiro.

Ele pretende, para 2016, aprofundar discussões que já promove, por meio de seu mandato, sobre o enfrentamento à discriminação, principalmente no campo da Educação.



Transexualidade e Contemporaneidade: Contribuições da Psicologia


segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Revista Mente e Cérebro - Qual é o seu Gênero?

Capa da Revista Mente e Cérebro, edição de dezembro, já nas bancas, que traz, a partir da página 34, meu artigo Qual é o seu Gênero?


domingo, 6 de dezembro de 2015

QUAL É O SEU GÊNERO?

Artigo de minha autoria publicado na edição de dezembro da revista Mente e Cérebro.
Já nas bancas. Você também pode adquirir em http://bit.ly/1TuMU8h

video

sábado, 5 de dezembro de 2015

Lançamento do livro Homofobia: Identificar e Prevenir

video

Oficina de Cuidado entre Trans


OFICINA DE CUIDADO ENTRE TRANS

Reunião de qualificação para a 3ª Conferência Estadual LGBT do Rio de Janeiro
Grupo Pela Vidda, Centro, 04/12, das 17h às 21h.

Muito obrigada pela honra de ter facilitado esse encontro de afetos e saberes. Juntas e juntos somos mais fortes na luta contra a transfobia e o cissexismo (a ideia de que somente as pessoas cisgênero - não trans - são gente)!